Aspectos geográficos

Aspectos geográficos

Área de Relevo


O Município de Junqueirópolis é o maior em extensão territorial de toda Nova Alta Paulista, possuindo 584,4 quilômetros quadrados de terras férteis e levemente onduladas e cujo acervo de riquezas gira em torno da agroindústria e da agropecuária.
Sendo:
Área Urbana 5 km2
Área Rural 579 km2

Extratificação Territorial
Há predominância acentuada de pequenas e médias propriedades agrícolas no município, principalmente nas proximidades da sede. Existem 13l0 propriedades rurais cadastradas no INCRA, distribuídas da seguinte forma:
De 01 a 10 ha 490 propriedades
De 10 a 20 ha 352 propriedades
De 20 a 50 ha 306 propriedades
De 50 a 100 ha 75 propriedades
De 10 a 250 ha 51 propriedades
De 250 a 500 ha  25 propriedades;
Acima de 1.000 ha 11 propriedades

Divisas do Município
a) Com o Município de Dracena:
Começa no Rio do Peixe, na Fóz do Ribeirão Caingangs; sobe por este até a Fóz do Ribeirão Santa Eufrásia, pelo qual sobe até a Fóz do Córrego da Lagoa e por este até sua cabeceira. Continua pelo contraforte fronteiro entre as águas do Ribeirão Santa Eufrásia à esquerda e as do Ribeirão Caingangs à direita, até cruzar o espigão-mestre Peixe-Aguapeí ou Feio; segue este espigão-mestre até a cabeceira do galho central do Ribeirão Nova Palmeira, onde pelo qual desce até a Fóz da Água Sumida;
b) Com o Município de Tupi Paulista:
Começa no Ribeirão Nova Palmeira, na Fóz da Água Sumida; desce por aquele até a Fóz do Córrego Aguinha;
c) Com o Município de Monte Castelo:
Começa no Ribeirão Nova Palmeira, na Fóz do Córrego Aguinha; desce pelo Ribeirão Nova Palmeira, até a sua Fóz no Rio Aguapeí ou Feio;
d) Com o Município de Nova Independência:
Começa no rio Feio ou Aguapeí, na Fóz do Ribeirão Nova Palmeira; sobe por aquele até a Fóz do Ribeirão Volta Grande;
e) Com o Município de Guaraçaí:
Começa no Rio Aguapeí ou Feio, na Fóz do Ribeirão Nova Palmeira; sobe por aquele até a Fóz do Ribeirão Água Amarela;
f) Com o Município de Irapuru:
Começa no Rio Aguapeí ou Feio, na Fóz do Ribeirão Água Amarela; segue pelo contraforte fronteiro em demanda, do divisor Taquarussu-Paturí; segue por este divisor até o espigão mestre Aguapeí ou Feio-Peixe; continua pelo espigão-mestre até a cabeceira mais setentrional do Córrego Arapongas, que corre a leste da Fazenda Oriente; desce pelo Córrego Arapongas até a Fóz que desce das Fazendas palmeiras e João Andrada; prossegue o contraforte que deixa, à esquerda aquela água até cruzar com o divisor Juriti-Fogo; continua por este divisor até a cabeceira do Córrego Ouro Verde, pelo Qual desce até sua Fóz no Ribeirão do Fogo;
g) Com o Município de Flora Rica:
Começa na Fóz do Córrego Ouro Verde, no Ribeirão do Fogo, pelo qual desce até sua Fóz no Rio do Peixe;
h) Com o Município de Emilianópolis:
Começa no Rio do Peixe, na Fóz do Ribeirão do Fogo, desce por aquele até a Fóz do Ribeirão Taquarussu ou Santo Anastácio;
i) Com o Município de Ribeirão dos Índios:
Começa no Rio do Peixe, na Fóz do Ribeirão Taquarussu, desce por aquele até a Fóz do Ribeirão Caingangs, onde tiveram início estas divisas.
As divisas acima descritas foram regulamentadas através da Lei Municipal nº 8.050, de 31 de dezembro de 1.963.
 
Clima
O Clima Regional é temperado subtropical, cuja temperatura oscila entre a máxima de 38º, mínima de 14º e média de 24º, com predominância de ventos do quadrante sul.
As precipitações pluviométricas giram em torno de 1.400 milímetros anuais, oferecendo raramente grandes variações.
 
Hidrografia
Existem duas bacias distintas no Município, localizadas uma ao Norte e outra ao Sul, assim representadas:
• Bacia do Norte: representada pelo Rio Aguapeí ou Feio e seus afluentes, que são os Ribeirões: Nova Palmeira, Taquarussu, Saltinho, Água Fria e os Córregos: São Domingos, Colibri, Pitangueiras e pequenos afluentes;
• Bacia do Sul: representada pelo Rio do peixe e seus afluentes, que são os Ribeirões: Fogo, Caingangs, Santa Eufrásia e os Córregos: Três Poças, Palmeirinha, Bonito e mais pequenos afluentes.
Tanto o Rio Aguapeí ou Feio como o Rio do Peixe, são afluentes do lado esquerdo do Rio Paraná.
A abundância das reservas de água, deu origem à vários sistemas de irrigações artificiais que vem multiplicando a produção agrícola por unidade de água, devendo ser incrementada pelos resultados e facilidades concedidas, através de planos de financiamento a longo prazo adotados pelos estabelecimentos oficiais de créditos.